EVENTOS

Cursos

Divulgue seu evento

Fique por dentro

 

Receba todas as novidades no seu email

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados - Portal Terapeutas S/A - Todos os Terapeutas reunidos num só lugar

  • 960088634151205
  • Black Instagram Icon

As informações disponibilizadas são de total responsabilidade de seus autores e tem caráter apenas informativo, não podendo, jamais, ser utilizadas em substituição a um diagnóstico médico ou de outro profissional habilitado, eximindo os administradores deste site de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização delas.

Terapia Cognitivo Comportamental

  • Vittude

Buscar um atendimento psicológico é muito comum e não precisa estar associado diretamente com uma doença. Terapia é para todo mundo e, dentro da psicologia, existem diversos tipos de abordagens terapêuticas. Entre elas a Psicanálise Freudiana,  a Psicologia Analítica ou Jungiana, a Psicanálise Lacaniana, Analítico-Comportamental, Gestalt, Psicodrama e também a Terapia Cognitivo Comportamental. 

 

Dentro da psicologia, existem ainda diversas abordagens que podem solucionar transtornos psicológicos de todos os tipos. Entre suas abordagens, está a Terapia Cognitivo Comportamental ou TCC.

O que é a Terapia Cognitivo Comportamental (TCC)?

A Terapia Cognitivo Comportamental ou TCC é uma abordagem da psicoterapia baseada na combinação de conceitos do Behaviorismo radical com teorias cognitivas. A TCC entende a forma como o ser humano interpreta os acontecimentos como aquilo que nos afeta, e não os acontecimentos em si. Ou seja: é a forma como cada pessoa vê, sente e pensa com relação à uma situação que causa desconforto, dor, incômodo, tristeza ou qualquer outra sensação negativa.

A Terapia Cognitiva foi fundada no início dos anos 60 por Aaron Beck, Neurologista e Psiquiatra norte-americano. Beck propôs, inicialmente, um “modelo cognitivo da depressão” e que posteriormente evoluiu para a compreensão e tratamento de outros transtornos.

Essa abordagem é bastante específica, clara e direta. É utilizada para tratar diversos transtornos mentais de forma eficiente. Seu objetivo principal é identificar padrões de comportamento, pensamento, crenças e hábitos que estão na origem dos problemas,  indicando, a partir disso, técnicas para alterar essas percepções de forma positiva. A TCC se destina tanto ao tratamento dos diferentes transtornos psicológicos e emocionais como a depressãoansiedade, transtornos psicossomáticos, transtornos alimentares, fobias, traumas, dependência química, entre outros.

Além disso, a Terapia Cognitivo Comportamental auxilia nas diversas questões que envolvem nossa vida como um todo, como: dificuldades nos relacionamentos, escolhas profissionais, luto, separações, perdas, estresse, dificuldades de aprendizagem, desenvolvimento pessoal e muitos outros.

Como funciona a Terapia Cognitivo Comportamental?

 

Sabendo que o objetivo principal da Terapia Cognitivo Comportamental é mudar os sistemas de significados dos pacientes para alterar suas emoções e comportamentos com relação às situações, o primeiro passo da terapia é entender esses sistemas.

Para isso, durante as sessões de TCC, o psicólogo vai identificando sentimentos, pensamentos e comportamentos de determinadas situações descritas pelo paciente. A partir disso, alguns padrões vão sendo identificados. São esses padrões que determinam crenças e percepções para cada experiência vivida.

Diante dos padrões mal adaptativos ou disfuncionais de pensamentos, cabe ao terapeuta auxiliar o paciente a encontrar novas possibilidades de pensamentos alternativos e mais funcionais que possibilitem uma boa adaptação à sua realidade social. Isso é feito a partir da determinação de um foco e de metas para que, com o tempo, o paciente adquira sua autonomia e possa lidar com as questões por conta própria. Esta é a reestruturação cognitiva e comportamental que dá nome à abordagem.

Os pontos determinantes de compreensão e atuação do TCC são:

  • Ambiente ou situação onde ocorre o problema

  • Pensamentos e sentimento envolvidos no problema

  • Estado de humor e emoção resultantes

  • Reação física

  • Comportamento

 

Por exemplo: você já deve ter vivido alguma situação onde precisou apresentar um assunto para um grupo de pessoas. Antes da apresentação, os pensamentos automáticos costumam gerar angústia e ansiedade, criando cenários mentais negativos que nem aconteceram ainda. Esses cenários podem ser: acreditar que ninguém irá gostar da apresentação, sentir que ficará nervoso, suando, gaguejando, que falará algo de errado e passará vergonha, por exemplo. São essas percepções que acabam gerando comportamentos negativos e criando situações desconfortáveis.

Cada pessoa olha para as situações da vida pelo seu buraquinho de percepções.

Isso não significa que, apenas adquirindo pensamentos positivos, as situações serão diferentes. É preciso olhar para cada situação de forma mais aprofundada e complexa, compreendendo os padrões de percepção e comportamentos já enraizados em cada pessoa. A solução é desconstruir esses pensamentos, gerando uma flexibilidade de comportamento.

Quando pensamento, emoção e comportamento estão em equilíbrio, é muito mais fácil agir de forma consciente e sem prejuízos. Para isso, é preciso saber distinguir os sentimentos da própria realidade, entendendo como um influencia o outro e avaliando de forma crítica a veracidade de nossos pensamentos automáticos. Com isso, é possível desenvolver habilidades para perceber quando essas suposições aparecem, interrompendo e modificando suas consequências.

Profissionais

São Paulo

  • Fábio Roberti Coelho

Email: fabio@institutopasame.com.br

Fone: (11) 97462-3390 / 96742-9263

  • Lucimara Balmant Santilli Vazquez Pizzotti

Email: lucimarapizzotti@hotmail.com

Fone:  (11) 99135-9821

  • Marcos Antonio Lopez Renna

Email: mrenna@outlook.com.br
Fone: (11) 98458-4892

  • Regina Silvia Alves de Lima

Email: regina.silviaalma@gmail.com

Fone: (11) 96929-7887

Rio de Janeiro

  • Neib Estrella

Email: neibestrella@outlook.com

Fone: (21) 98948-9991